Moradores de Periperi investem em bares

Posted on 29/05/2007 por

0


por Camila Vieira

A falta de emprego, a busca da sobrevivência, por não ter onde morar. Esses são os motivos pelos quais alguns moradores do bairro de Periperi buscam investir em “barzinhos” para poder ganhar dinheiro e conseguir obter o sustento próprio e da família. Em cada esquina, diversos bares promovem divertimento em troca de sustentabilidade.

Ao meio-dia de uma sexta-feira, o comércio funcionava normalmente em Periperi. Alguns bares estavam abertos, outros abririam mais tarde. Na Avenida Afrânio Peixoto, o Bar das Meninas já funcionava e a dona, Lucinalva Vasconcelos, 37 anos, juntamente com a sua garçonete, colocavam as cervejas para gelar.

Lucinalva tem o bar há cinco anos e diz estar muito satisfeita com a demanda. O lucro obtido cobre os gastos. Nesse período, 2005 foi o ano de maior movimentação financeira. Além de vender cerveja – obtida com os representantes -, refrigerante e salgados caseiros também fazem parte do seu cardápio. “Faço salgados que dão uns R$ 20. Dá pra 40 salgados e vendo pelo preço de R$ 1 cada peça”, declara Lucinalva. Ela conta que o Bar das Meninas abre às 9h e fecha quando sai o último cliente. Os finais de semana são os dias de maior movimento e, consequentemente, os dias em que o lucro sobe mais.

Ainda na Avenida Afrânio Peixoto, ao contrário de Lucinalva, outra dona de bar não está muito satisfeita com a demanda. No Bar da Nil, Nildete Almeida, 50 anos, afirma que o movimento é “meio devagar, quase parando”. Dentro desses seis anos de existência do bar, o lucro não cobre os gastos. “Por mim não foi nenhum”, diz Nildete referindo-se aos anos que passaram e o lucro continuou baixo. Continua com o bar aberto porque não tem onde ficar: “Tô aqui porque não tenho casa”, declara. Ganhou o estabelecimento e vende para sobreviver. A mercadoria é obtida no depósito da Praça de Periperi e com os respectivos representantes.

A geração de emprego é, portanto, pequena nestes locais. A existência dos mesmos é como forma de subsistência. A movimentação financeira não foge deste ciclo que é, geralmente, a própria família. Os bares e “barzinhos” são fontes de renda para estes moradores que, não encontrando outras oportunidades, optam por investir em bares, mas que, na maioria das vezes, não traz satisfações. A preço quase tabelado, as cervejas parecem ser a única esperanças de alguns moradores. O preço das cervejas não varia muito em comparação com bairros de outras áreas de Salvador. Pode-se encontrar a bebida a partir de R$ 1,70, chegando até R$ 2,50.

(junho de 2007)

Anúncios
Posted in: ECONOMIA