Paróquia afro-baiana

Posted on 29/05/2007 por

0


por Helbert Luciano

Adotando uma evangelização baseada na cultura afro-baiana, a igreja de São Brás, situada no bairro de Plataforma, é uma das poucas na Bahia a resgatar a cultura afro-descendente. A paróquia administra inúmeros projetos de ação social, atuando no desenvolvimento cultural, educacional e profissionalizante da população do bairro. Construída em 1587 pelo alcaide de Vila Velha de Pedreira Coutinho, Antônio de Carvalhal, a paróquia é considerada uma das mais antigas de Salvador. Cultivar os laços culturais que existem entre a Bahia e a África é a missão da igreja de São Brás. Segundo o pároco colombiano Salvador Medina, a paróquia tenta preservar as influências africanas que povoam nosso estado. “Por este motivo tentamos colocar os elementos da cultura afro-baiana dentro da Catequese infantil e de adultos, da espiritualidade e suas práticas de piedade, da pregação, da liturgia e do exercício da caridade. Estamos dando os passos para chegarmos a ter uma Evangelização Afro e não apenas uma Pastoral Afro dentro da Evangelização da paróquia”, disse.

O conjunto eclesiástico da paróquia é composto por diferentes correntes culturais. Em 2002, chegaram à paróquia dois missionários sacerdotes de diferentes línguas, cores e tradições culturais. Foram o keniano Joakim Kamau, e o italiano Pedro Parcelli. “Com o nosso estilo de vida e de missão tentamos testemunhar ao Deus da vida, Pai-Mãe da humanidade toda, e anunciar Jesus Cristo como Consolação-Libertação, guiados pelo Espírito Consolador e inspirados em Maria, a Mãe da Consolação”, disse o vigário paroquial Pedro Parcelli.

Serviços Apostólicos
Os serviços na paróquia de São Brás são feitos pelos padres, Missionários da Consolata, pessoas engajadas nas diversas pastorais e ministérios e pelas religiosas Filhas da Igreja e Franciscanas Hospitaleiras. Os projetos de ação social criados pela paróquia são: Projeto Coe-quilombo, Curso Pré-vestibular e Projeto CEDEP, que visa complementar a vida escolar do educando através dos cursos profissionalizantes. Atualmente é ministrado um curso de Construção Civil (pedreiro, encanador, eletricista).Além de projetos que privilegiam os moradores de Plataforma, a paróquia também elaborou o projeto “Novos Alagados”, que atua fazendo um acompanhamento integral de 150 famílias que vivem na pobreza absoluta, privilegiando o campo da saúde. Outro trabalho, acompanhado pelas Irmãs Filhas da Igreja é chamado de Pedras Vivas (casas para os mais pobres). O projeto incentiva a adoção à distância, permitindo o acompanhamento integral de mais de 350 famílias, resgatando a cultura e educação artística (música e pintura), além de fornecer cursos de computação e manutenção de micro.

Segundo Jacinta Pedrosa, colaboradora do projeto “Novos Alagados”, as iniciativas sociais da paróquia ajudam a recuperar a auto-estima das pessoas de baixa renda, além de serem um ato de solidariedade com os mais necessitados. “Me sinto muito gratificada participando desse ato de ajuda ao próximo. São pessoas que precisam de ajuda financeira e psicológica, além de muito carinho e afeto. Realmente é um trabalho muito bonito”.

Centenas de pessoas são beneficiadas pelos projetos da paróquia, além dos moradores do bairro de Plataforma, outras pessoas que residem nos bairros vizinhos também participam das oficinas profissionalizantes. Segundo Cláudio dos Santos, 26, residente no bairro de Periperi, os cursos oferecem às pessoas sem condições financeiras a oportunidade de adquirir uma profissão. “Participei do projeto CEDEP e me especializei em eletrônica. Hoje sou um profissional atuante no mercado de trabalho. Agradeço muito a essa oportunidade que a paróquia de São Brás me ofereceu”.

O primeiro milagre de São Brás
A história do primeiro milagre de São Brás foi quando ele estava preso, como cristão foragido, por ordem do prefeito da região e enquanto era levado para Edessa (Armênia). As pessoas abriam caminho à sua passagem, estendendo em sua direção às crianças, para que ele as abençoasse e as fizesse crescer sadias. Até os leitos em que jaziam doentes que não podiam andar eram levados fora das casas.Ao longo do percurso, Brás fez um milagre que lhe garantiu a qualificação de protetor contra as doenças da garganta: de um pequeno casebre localizado na estrada que o Santo percorria, saiu uma mulher em lágrimas trazendo no colo seu único filho, que estava morrendo, sufocado por uma enorme espinha de peixe: “Ela aproximou-se, colocou aos pés do santo o filho que estava morrendo, sufocado por um osso de peixe na garganta. E Brás, colocando as mãos sobre a criança, rezou a Deus, e o menino foi prontamente curado”.

São Brás se consagrou como protetor da garganta e de “todos os outros males”, particularmente as doenças da boca, dos lábios e dos dentes. Ele é também venerado como padroeiro dos dentistas e dos músicos de instrumentos de sopro. Na França e na Bélgica, ele costuma ser invocado também para as doenças dos olhos.

Outras atividades
Além dos projetos de ação social executados pela paróquia, são ofertados cursos de extensão cultural e religiosa, a exemplo da Formação Permanente de Catequicistas, que acontece todos os terceiros domingos de cada mês, além do curso de Formação e Informação sobre o Mundo Cultural Afro, que acontece todo segundo domingo de cada mês. Atualmente está sendo realizada a Semana Afro-indígena, que teve início no dia 19 de novembro e se estenderá até o dia 25 deste mesmo mês. As missas na igreja São Brás são realizadas todas as quartas e sextas–feiras às 7h, sábados às 19h30 e aos domingos às 8h30.

(dezembro de 2003)

Anúncios
Posted in: CULTURA