Violência nos ônibus

Posted on 29/05/2007 por

0


por Adriana Luciana

O trajeto que se percorre da Paralela até Periperi, se for de ônibus, é de mais ou menos uma hora e alguns minutos. Isto se deve a vários fatores como: utilizar dois ônibus para chegar, não enfrentar engarrafamento, e se durante o percurso o veículo não sofrer algum assalto, já que os passageiros apontam acontecer isto com freqüência. Os moradores defendem o transporte no subúrbio, pois garantem dispor de uma variedade, com o trem, os ônibus e topics.

Passar por locais da área suburbana nos dá a sensação de que estamos em outra cidade dentro de Salvador. O local conta com feiras alimentícias, projetos culturais e inúmeras escolas. Os moradores admitem ter dificuldades como em qualquer lugar, e defendem algo que funciona bem, que são os transportes coletivos: “Aqui se não quisermos pegar ônibus, tem trem e topics”, afirma Marcos Antônio Alcântara, 33 anos, segurança, enquanto aguardava a chegada do trem na estação.

Existem duas linhas principais que circulam no subúrbio, a Boa Viagem e a Praia Grande, além de algumas alternativas. Mesmo com determinados problemas os moradores elogiam a quantidade de ônibus: “A quantidade de ônibus é ótima, os transportes durante a semana circulam até horários mais longos e topics não possuem um horário limitado”, acrescenta Alcântara. O dançarino Emerson Ataíde, 21 anos, também concorda: “Enquanto a isso não tenho o que reclamar, a quantidade é boa”.

A opinião de diversos moradores devido a alguns transtornos que realmente os preocupam ao estarem dentro de um ônibus, é a falta de segurança, citada de forma expressiva por todos: “A queixa que eu tenho é que tem muito bang-bang (troca de tiros)”, especifica Emerson Ataíde. A violência e assaltos são apontados como fatos que ocorrem diariamente: “O que mais tem é assalto a ônibus e pedradas, pois eu já fui vítima de uma e fiquei com uma marca”, afirma Carlos Santos, 30 anos, mostrando um afundamento no nariz. Os moradores esperam uma providência para solucionar estes acontecimentos, que vem sempre incomodando: “Deveriam ter um ou dois policiais em todos os ônibus para melhorar a segurança”, sugere Daniel Silva, 18 anos, estudante.

As empresas de ônibus Boa Viagem e a Praia Grande contam com suas garagens em dois distintos bairros do subúrbio. Alguns dos profissionais da empresa Boa Viagem (Coutos), traçaram aspectos deste transporte coletivo que é o ônibus: “As condições dos ônibus são normais, e a demanda também, o que ocorre nos finais de semana é que as frotas são reduzidas e se demoramos é por causa do fluxo de engarrafamento”, explica Messias Corrêa Silva, 37 anos, motorista a 12. Messias Silva contou que a linha já atua no local á quase 30 anos e que foi oriunda da Ipiranga. E tratando-se da violência nos veículos a informação é única: “Ocorrem vários assaltos diariamente, chegam a ter entre dez a 14 ônibus fazendo ocorrências no Furtos e Roubos.”, conclui Messias Silva.

Segundo o gerente da empresa Boa Viagem os assaltos vêm decaindo: “Diminuiu bastante este ano, pois em 2006 chegou a serem registrados 70 assaltos no ano, o que chegava aproximadamente a seis por dia.”, relata Rafael Melo, que também nos informou sobre uma das queixas mais presentes dos passageiros para com os ônibus: “É a não parada nos pontos, é algo que acontece e que já vem sendo trabalhado”.

Os profissionais da Praia Grande também argumentaram sobre os veículos : “ Os ônibus tem as condições compatíveis , para que a condução ocorra de forma normal”, afirma Joel Souza ,39 anos, motorista. A empresa também habita o local por vários anos e circula por determinados lugares fora do subúrbio ferroviário. Os respectivos profissionais admitem que há realmente um total de assaltos bem expressivos, e que a segurança é o que falta para que a viagem se torne mais agradável.Os moradores e passageiros não se queixam das empresas, afinal a violência nos ônibus é um fato ao qual as linhas de ônibus não podem fazer muita coisa, já que não são as causadoras.

(maio de 2007)

Anúncios
Posted in: CIDADE